A ARCA - A arte em ser do contra!
 
Copyright e direitos. Política de Privacidade Dê aquela força para nós d´A Arca ajudando a divulgar o site! Press-Releases e mais informações para veículos de comunicação Mais informações sobre aqueles que fazem A Arca A ARCA oferece várias maneiras para você divulgar sua marca! Clique aqui! TRECOS: Brinquedos colecionáveis e toda tranqueira relacionada! Tem até chiclete aqui! CARTUCHO: Videogames e jogos de computador e fliperamas e mini-games e... SOFÁ: É da telinha que eu estou falando! Séries de TV, documentários... e Roberto Marinho não está morto, viu? ACETATO: Desenhos animados, computação gráfica... É Disney, Miyazaki e muito mais! RPG: os jogos de interpretação que, na boa, não matam ninguém! PIPOCA: Cinema na veia! De Hollywood a Festival de Berlim, com uma parada em Nova Jérsei! GIBI: Histórias em Quadrinhos, Graphics Novels... é, aquelas revistinhas da Mônica, isso mesmo! Tutu Figurinhas: o nerd mais bonito e inteligente dessas paragens destila seu veneno! RADIOLA: música para estapear os tímpanos!
Artigo adicionado em 26/09/2006, às 11:39

EFEITO BORBOLETA 2: nem tanto ao céu, nem tanto ao inferno…
Sabe que me surpreendeu, aliás?

Por
Thiago "El Cid" Cardim


::: Trailer: Confira no YouTube

Antes de qualquer coisa, assista ao trailer de Efeito Borboleta 2 (The Butterfly Effect 2) clicando no link acima. Já viu? Então…o que passa imediatamente pela sua cabeça? Vamos ver se eu consigo adivinhar, já que tenho certeza que o mesmo passou pela minha: “Putz, tinha qualquer necessidade desta continuação? Ô, mas que cara de filmezinho B”. Foi isso, não foi? Pois bem. E se eu te contar, então, que a película será lançada direto para o mercado de DVD nos EUA? Tenho certeza de que agora os seus dois pés estão bem atrás e você está prestes a sair correndo gritando por “socorro”. Tudo isso estava rodopiando ao mesmo tempo pelos meus neurônios quando presenciei a primeira exibição da produção…e, êpa, vejam só, sabe que a coisa toda não é tão ruim assim? “Efeito Borboleta 2″ é bem melhor do que eu esperava!

Quer dizer, não me entenda mal. Não quero dizer que seja MUITO melhor do que eu suspeitava – e não, definitivamente o filme não é tão bom quanto o primeiro (de 2004), este sim uma grata surpresa em se tratando de qualquer coisa estrelada pelo Ashton Kutcher. Digamos que, em “Efeito Borboleta 2″, é necessário destacar a atuação minimamente convincente do casal principal (Eric Lively, da série “The L Word”, e Erica Durance, a Lois Lane de “Smallville”, que não são fantásticos mas também não atrapalham) e algumas viradas definitivamente inesperadas na trama – especialmente na meia-hora final, fazendo com que a história siga por uma direção completamente anti-clichê, em especial se pensarmos que se trata, essencialmente, de um lançamento pensado diretamente para vídeo.

Conforme o título entrega, a história volta ao conceito básico da teoria do caos: “algo tão pequeno quanto o bater de asas de uma borboleta pode causar um tufão em outra parte do mundo”. Traduzindo para os leigos e trazendo direto para o conceito cinematográfico, significa que qualquer mínima alteração no passado poderia causar uma grave modificação nos rumos do futuro. Quem vai aprender isso na marra é Nick Larson (Lively), que vive um de seus melhores momentos na vida. A empresa de tecnologia na qual trabalha está indo de vento em popa e seu namoro com a fotógrafa Julie (Durance) parece perfeito. Mas tudo muda repentinamente quando ele recebe um telefonema de seu supervisor exigindo sua presença…justamente no dia do aniversário de Julie, quando eles e o casal de melhores amigos faziam uma viagem intimista às montanhas. A partir de então, uma cadeia de eventos vai resultar na morte de três pessoas em um trágico acidente de carro – incluindo sua jovem namorada.

Um ano depois, Nick ainda tenta reunir os pedaços de sua vida destruída. Relegado a um cargo de segundo escalão, ele agora é subalterno de seu principal concorrente, o insuportável Dave Bristol (David Lewis, de “Firewall”). E ainda sente terríveis dores de cabeça e sofre surtos epilépticos devido ao acidente. Justamente durante uma de suas crises, Nick firma sua mente em uma das fotos do fatídico dia da morte de Julie. Apesar do sofrimento e da intensa dor física, o rapaz incrivelmente consegue manter a consciência e parece estar viajando no tempo, com a oportunidade de mudar o passado e reconstruir sua existência de uma vez por todas. Ele vai tentar recuperar seu emprego e o amor de sua vida. Mas a missão é mais difícil do que aparenta, especialmente com a propensão humana para a ambição e para tomar as decisões mais imbecis possíveis. E já dá para imaginar que o caldo vai entornar.

No frigir dos ovos, “Efeito Borboleta 2″ não é fantástico e nem se propõe a ser um “clássico cult” como o primeiro. É um filme, digamos, OK. E é só. Sem maiores pretensões. “Bacaninha”, talvez? Parece ser um daqueles bons episódios de Além da Imaginação ou Amazing Stories – e, como o canal norte-americano Sci-Fi comprou os direitos para transformar a franquia em série de TV, dá até para encarar este filme como uma espécie de piloto para o vindouro programa. O final, por sinal, já dá pistas suficientes.

Os marmanjos vão ficar de queixo caído com a performance de Durance, mais linda do que nunca – e que protagoniza uma cena quentíssima no sofá de casa para deixar a lembrança de seu strip-tease em “Smallville” definitivamente no passado.

Para pagar meia-entrada e assistir num sábado à tarde se entupindo de pipoca. E já ta bom, vá. Não reclama. Circulando, circulando…

::: CURIOSIDADES :::

– O primeiro “Efeito Borboleta” arrecadou mais de US$ 58 milhões nos Estados Unidos;

- O ator Eric Lively conta que se identificou com o personagem de Nick porque sofria de uma coisa chamada paralisia do sono e alucinações hipnagógicas. Ele mesmo explica: “Acontecia durante a fase do REM – “rapid eye movement” ou “movimento rápido dos olhos” – depois que seu corpo e sua mente relaxam completamente. Eu entrava nesta fase de três a cinco minutos depois que eu deitava. E então eu permanecia acordado, mas começava a dormir. Imaginava meu corpo saindo da cama e via o quarto onde eu estava, e coisas estranhas aconteciam. E então eu percebia que estava dormindo. Então eu dizia para mim mesmo ‘Acorde, acorde’. Era assustador. Então, foi fácil me identificar com o Nick”;

– A produção do filme foi aceleradíssima – acontecendo em inacreditáveis 23 dias, um cronograma de filmagens tão apertado que lembra muito mais o trabalho de televisão do que o de cinema. No entanto, todos os atores já eram veteranos dos seriados e entraram rapidinho no ritmo;

– Conhecido dos nerds por seu trabalho em Mortal Kombat: Annihilation, o diretor John R. Leonetti ficou famoso por sua atuação como diretor de fotografia em filmes diversos como O Máskara, Escorpião Rei, Brinquedo Assassino 3 e Top Gang 2 – além de dois filmes para TV dirigidos por aquele que Leonetti chama de “seu mestre”, John Frankenheimer: Attica – A Solução Final e Amazônia em Chamas.

Efeito Borboleta 2 (Título original: The Butterfly Effect 2) / Ano: 2006 / Produção: Estados Unidos / Direção: John R. Leonetti / Roteiro: Michael D. Weiss / Elenco: Eric Lively, Erica Durance, JR Bourne, Gina Holden, Caeli MacAulay, Lindsay Maxwell, Dustin Milligan, Malcolm Stewart / Duração: 93 minutos.

:: A ARCA, Eu Te Amo.
:: Review ::: DVD + CD ::: USED & ABUSED - IN LIVE WE TRUST (In Flames) - sem inagens
:: Review ::: DVD ::: THE ARSENAL OF MEGADETH (Megadeth) - sem imagens
:: Review ::: DVD ::: R30 - 30TH ANNIVERSARY WORLD TOUR (Rush) - sem imagens
:: RUNAWAY BRAIN: o curta-metragem esquecido do Mickey Mouse
:: CINE PARADISO NA VIDA REAL
:: Review ::: Show ::: EDGUY (Credicard Hall - São Paulo/SP - 03/11/2006)
:: Review ::: Show ::: LIVE 'N' LOUDER ROCK FEST (Anhembi - São Paulo/SP - 14/11/2006)
:: Review ::: CD ::: A TWIST IN THE MYTH (Blind Guardian)
:: Review ::: CD ::: WOLFMOTHER (Wolfmother)
>> Mais materias AQUI!

Quem Somos | Ajude a Divulgar A ARCA!
A ARCA © 2001 - 2007 | 2014