A ARCA - A arte em ser do contra!
 
Menu du jour! Tutu Figurinhas: o nerd mais bonito e inteligente dessas paragens destila seu veneno! GIBI: Histórias em Quadrinhos, Graphics Novels... é, aquelas revistinhas da Mônica, isso mesmo! PIPOCA: Cinema na veia! De Hollywood a Festival de Berlim, com uma parada em Nova Jérsei! RPG: os jogos de interpretação que, na boa, não matam ninguém! ACETATO: Desenhos animados, computação gráfica... É Disney, Miyazaki e muito mais! SOFÁ: É da telinha que eu estou falando! Séries de TV, documentários... e Roberto Marinho não está morto, viu? CARTUCHO: Videogames e jogos de computador e fliperamas e mini-games e... TRECOS: Brinquedos colecionáveis e toda tranqueira relacionada! Tem até chiclete aqui! RADIOLA: música para estapear os tímpanos! Mais informações sobre aqueles que fazem A Arca Dê aquela força para nós d´A Arca ajudando a divulgar o site!
Artigo adicionado em 06/09/2006, às 12:33

SAMUEL L. JACKSON
The coolest badass motherfucker in Hollywood.

Por
Thiago "El Cid" Cardim


LEIA TAMBÉM:
::: SERPENTES A BORDO: A CRÍTICA DO FILME!
::: SERPENTES: O FENÔMENO POR TRÁS DO FILME!
::: SNAKES ON THE MOVIES: FILMES DE SERPENTES!
::: MOVIES ON THE PLANE: FILMES DE AVIÕES!

“Eu acho que todos que dizem que não gostam de se ver nos filmes deveriam parar de mentir”

Uma das estrelas mais queridas e bem pagas de Hollywood, unanimidade de público, crítica e mercado. Um dos rostos mais vistos nas telonas nos últimos anos. Campeão incontestável de bilheteria nas produções que protagoniza, ele já foi super-herói, supervilão, policial (diversas vezes, aliás), viciado, soldado, treinador de basquete e até, vejam só, um jedi! Senhoras e senhores, vocês sabem muito bem de quem estamos falando: o Rei do Cool, Samuel Leroy Jackson. É hora de aplaudir, crianças.

Nascido no dia 21 de dezembro de 1948 na capital dos Estados Unidos, Washington, DC, Jackson cresceu na pequena cidade de Chattanooga, no Tennessee. Desde os três anos de idade, especializou-se em tocar instrumentos de sopro como trompete nas bandas da escola. Acabou se graduando, em 72, na faculdade Morehouse da cidade de Atlanta – não sem ser suspenso, três anos antes, por participar de uma manifestação na qual manteve como “reféns” diversos membros da curadoria (incluindo o pai de Martin Luther King) como protesto pela falta de negros na curadoria ou mesmo de um programa de estudos para negros. Este seria apenas um de seus inúmeros atos como ativo membro dos movimentos pelos direitos civis dos afro-americanos dos Estados Unidos.

No entanto, a aptidão de Jackson para a interpretação começou logo na infância – quando o pequeno garoto foi levado a um especialista em terapia da fala para tratar de uma gagueira. A sugestão do medico? Participar da audição para um papel em uma peça. E não é que a indicação funcionou – e acabou influenciando na futura faculdade na qual Jackson se formaria?

Mas não ache que a carreira de Sam começou assim tão fácil. Antes de seu primeiro grande papel hollywoodiano, o sujeito foi porteiro do popular edifício Manhattan Plaza, no qual viveram centenas de atores e artistas. Em seguida, foi stand-in de Bill Cosby durante as filmagens da série cômica The Cosby Show – e só para explicar, um stand-in é um membro da produção que tem o mesmo tamanho e forma física de um determinado ator e toma o seu lugar enquanto o diretor e sua equipe preparam a cena a ser rodada, arrumando as tomadas de câmera e a iluminação.

Depois de participar, nos anos 70, de uma trupe de atores negros conhecida como Negro Ensemble Company, companhia teatral na qual atuou ao lado de nomes como Morgan Freeman, Jackson mostrou a cara em diversas pequenas produções cinematográficas, além de seriados e filmes para TV. Mas os primeiros passos para a fama se dariam no começo da década de 90, em três produções seguidas dirigidas por Spike Lee: Faça a Coisa Certa (1989), Mais e Melhores Blues (90) e Febre da Selva (91) – pelo qual, por sinal, ganhou o prêmio de “melhor ator coadjuvante” no Festival de Cannes e também o prêmio da associação New York Film Critics. E mais: duas semanas antes de interpretar um viciado em “Febre da Selva”, o ator tinha acabado de completar um processo de reabilitação para livrá-lo de vez das drogas.

A partir daí, não faltariam oportunidades para que ele começasse a fazer o seu nome, em filmes como Johnny Suede (91, com Brad Pitt), Investimento Arriscado (91, com Halle Berry), Caminhos da Vida (92, com Tim Roth), Perigo em Família (92, com Famke Jannsen), Areias Brancas (1992, com Willem Dafoe), Jogos Patrióticos (92, com Harrison Ford) e até a comédia Máquina Quase Mortífera (93), paródia de “Máquina Mortífera” estrelada ao lado de Emilio Estevez, e o primeiro Jurassic Park (93).

“DON’T BE TELLIN’ ME ABOUT FOOT MASSAGES. I’M THE FOOT FUCKING MASTER”

Um ano depois de ser morto por um velociraptor, Jackson começaria sua bem-sucedida parceria com o amigo Quentin Tarantino, assumindo o papel do matador Jules Winnfield em Pulp Fiction – Tempo de Violência. O sucesso foi praticamente imediato e garantiu ao astro, já no alto de seus 46 anos, a porta de entrada definitiva para a fama – e para o status absoluto de cool e cult. Winnfield teve indicações ao Globo de Ouro, ao Oscar, ao MTV Movie Awards e ainda levou para casa o prêmio do BAFTA (o Oscar inglês) como “melhor ator coadjuvante”. E para completar, o personagem foi eleito um dos mais “cool de todos os tempos” pela revista Empire e um dos “melhores personagens do cinema de todos os tempos” pela revista Premiere. É mole ou quer mais?

A lista de personagens cool de Jackson não parou mais de crescer: Calvin Hart em O Beijo da Morte (95), Zeus Carver em Duro de Matar 3 (95), o Reverendo Fred Sultan em O Trambique do Século (96), Carl Lee Hailey em Tempo de Matar (96), Mitch Henessey em Despertar de um Pesadelo (96), Trevor Garfield em Código da Violência (97) e o cultuado Ordell Robbie em Jackie Brown (97) – repetindo a dobradinha com Tarantino e lhe garantindo um Urso de Prata no prestigiado Festival de Berlim.

Samuel L.Jackson acabou se tornando especialista em um tipo muito específico de personagem: o policial e/ou militar e/ou e/ou herói e/ou veterano e/ou maluco do tipo durão, sempre armado até os dentes mas inegavelmente cool, inabalável, divertido e com uma boa dose de frases de efeito (em sua maior parte memoráveis e deveras desbocadas). Acompanhe a lista: A Negociação (98), o remake de Shaft (2000), Fórmula 51 (ou “Baladas, Rachas e um Louco de Kilt”, 2002), Triplo X (2002), Violação de Conduta (2003), S.W.A.T. (2003), Os Incríveis (2004), Coach Carter – Treino Para a Vida (2005), O Cara (2005)…

Sim, não dá para negar que ele teve interpretações dramáticas memoráveis em filmes como Corpo Fechado (2000) e mesmo no drama militar Regras do Jogo (2000), no qual chega a roubar a cena de Tommy Lee Jones. Mas não vamos ser mentirosos ao dizer que ali, bem no fundo, o que nós queremos mesmo é vê-lo chutando traseiros como em Serpentes A Bordo. Até o jedi Mace Windu, da nova trilogia de Star Wars, dá para encaixar, sob certos aspectos, neste estereótipo.

Por falar na saga espacial, aliás, vale lembrar que Sam foi convidado para envergar o manto sagrado dos poderosos cavaleiros jedis depois que revelou em uma entrevista ao programa de TV britânico TFI Friday, que adoraria trabalhar com George Lucas.

::: FRASES DE EFEITO NO CINEMA :::

Hold on to your butts
(“Segurem suas bundas” / Jurassic Park)

Yolanda, I thought you said you were gonna be cool. Now when you yell at me, it makes me nervous. And when I get nervous, I get scared. And when motherfuckers get scared, that’s when motherfuckers accidentally get shot
(“Yolanda, eu pensei que você tinha dito que ia ficar fria. Agora, quando você grita comigo, me deixa nervoso. E quando eu fico nervoso, eu fico assustado. E quando fodedores ficam assustados, é quando fodedores se machucam acidentalmente”/ Pulp Fiction)

I ain’t your partner. I ain’t your neighbor, your brother or your friend. I’m your total stranger
(“Não sou seu parceiro, não sou seu vizinho, seu irmão ou seu amigo. Sou um total estranho”/ Duro de Matar 3)

Yes, they deserve to die, and I hope they burn in hell
(“Sim, eles merecem morrer, e eu espero que eles queimem no inferno “/ Tempo de Matar)

I’m serious as a heart attack
(“Sou tão sério quanto um ataque do coração”/ Jackie Brown)

I’m always frank and earnest with women. Uh, in New York I’m Frank, in Chicago I’m Ernest
(“Sou sempre franco e sincero com as mulheres. Uh, em Nova York eu sou o Franco, em Chicago eu sou o Sincero” / Despertar de um Pesadelo)

It’s my duty to please that booty
(“É meu dever honrar este traseiro”/ Shaft)

So are you going to get on the plane or is ‘Kiss my ass, Scarface?’ your final answer?
(“Então, você vai entrar no avião ou ‘Vai à merda, Scarface’ é sua resposta final?” / Triplo X)

Superladies, they’re always trying to tell you their secret identity. Think it’ll strengthen the relationship, or something like that. I say: girl, I don’t want to know about your mild-mannered alter ego. You say that you’re a… Ultra Mega Lightning Babe or something like that, that’s all right with me. I’m good. I’m good
(“Supergarotas, elas estão sempre tentando te contra suas identidades secretas. Elas acham que isso vai fortalecer o relacionamento, ou algo assim. Eu digo: garota, eu não quero saber sobre seu alter ego calmo e tranqüilo. Você diz que você é uma…Garota Ultra Mega Relâmpago ou algo assim, está bom para mim. Estou tranqüilo. Estou tranqüilo” / Os Incríveis)

Money. You… you think I want money? What I want is my morning back. I need you to give my time back to me. Can you give me back my time? Can you give my time back to me? Huh? Can you?
(“Dinheiro. Você.você acha que eu quero dinheiro? O que eu quero é minha manhã de volta. Eu preciso que você me devolva meu tempo. Você pode me devolver meu tempo? Você pode me devolver meu tempo? Hã? Você pode?” / Fora de Controle)

How can I trust a man who won’t eat a good old-fashioned American hotdog?
(“Como posso confiar em um homem que não come o bom e velho cachorro quente americano?” / S.W.A.T.)

I mean, rules are like, arbitrary, you know. Made up for people who believe in fairy tales like, you know, like Santa Claus
(“Quero dizer, regras são arbitrárias, você sabe. Feitas para pessoas que acreditam em contos de fadas, você sabe, como Papai Noel” / Fórmula 51)

It’s allright to be afraid, David, because this part won’t be like a comic book. Real life doesn’t fit into little boxes that were drawn for it
(“Está tudo bem em sentir medo, David, porque esta parte não será como nos gibis. A vida real não se encaixa em pequenos quadrinhos que foram desenhados para isso” / Corpo Fechado)

You’re my Bitch. My own personal Bitch. I pull the strings, you dance
(“Você é minha vadia. Minha vadia pessoal. Eu puxo as cordas, você dança “, O Cara)

::: CURIOSIDADES :::

– Pai de uma jovem, Zoe – que hoje tem 24 anos. Jackson e Zoe foram vistos juntos recentemente pela imprensa sensacionalista e, adivinhe só: a garota foi taxada como sendo sua mais nova amante;

– Vegetariano convicto;

– Ávido jogador de golfe. “Para ser honesto, sou tão apaixonado por golfe quanto sou por atuar”, afirma ele.;

– Fanático por quadrinhos, séries antigas de TV e filmes de terror – exatamente como eu e você;

– Afirma ser freqüentemente confundido com Laurence Fishburne – e vice-versa!

– Seus personagens sempre estão relacionados com a cor roxa: Mr. Glass está sempre com esta tonalidade de roupa em “Corpo Fechado”; ele mesmo escolheu que seu personagem em Fora de Controle (2002) usasse um chapéu roxo; e como ficou claro para os fanáticos de plantão, o sabre de luz de Mace Windu é roxo – atendendo aos pedidos pessoais feitos ao próprio George Lucas. Que moral, hein?

– Fez parte da lista das 100 celebridades mais ricas da revista Forbes em 2002 e 2003, onde tinha declaradas respectivamente as fortunas de US$ 34 milhões e US$ 30 milhões.

– O personagem Nick Fury da série em quadrinhos Os Supremos (The Ultimates/Marvel Comics), releitura do supergrupo Vingadores para o século XXI, teve o visual e o jeitão clara e rasgadamente inspirados em Samuel L.Jackson.

::: PROJETOS FUTUROS :::

Black Snake Moan, drama ao lado de Christina Ricci no qual será um blueseiro que se envolve com uma garota que sofreu abusos sexuais na infância;

Jumper, ficção adaptada do livro de mesmo nome escrito por Stephen Gould, no qual será um agente do governo caçando um garoto com poderes de teleporte – e que será vivido por Hayden Christensen, repetindo a parceria de “Star Wars”;

Resurrecting the Champ, drama com Josh Hartnett no qual será o Champ do título, uma antiga lenda vida do boxe que todos achavam que estava morto mas que acaba sendo trazido de volta à tona por um ambicioso repórter;

Home of the Brave, outro drama, desta vez militar, sobre três soldados tentando se adaptar à vida normal depois de retornar do Iraque. Com Jessica Biel e o rapper 50 Cent;

1408, um horror sobre um homem especializado em desvendar ocorrências sobrenaturais que é chamado para o mítico quarto cujo número dá título ao filme, no Hotel Dolphin;

– A animação sci-fi 2004: A Light Knight’s Odyssey e a paródia Farce of the Penguins, tiração de sarro com A Marcha dos Pingüins;

– A série animada Afro Samurai, sobre um samurai negro que vai ao Japão feudal em busca de vingança pela morte de seu pai.

:: A ARCA, Eu Te Amo.
:: Review ::: DVD + CD ::: USED & ABUSED - IN LIVE WE TRUST (In Flames) - sem inagens
:: Review ::: DVD ::: THE ARSENAL OF MEGADETH (Megadeth) - sem imagens
:: Review ::: DVD ::: R30 - 30TH ANNIVERSARY WORLD TOUR (Rush) - sem imagens
:: RUNAWAY BRAIN: o curta-metragem esquecido do Mickey Mouse
:: CINE PARADISO NA VIDA REAL
:: Review ::: Show ::: EDGUY (Credicard Hall - São Paulo/SP - 03/11/2006)
:: Review ::: Show ::: LIVE 'N' LOUDER ROCK FEST (Anhembi - São Paulo/SP - 14/11/2006)
:: Review ::: CD ::: A TWIST IN THE MYTH (Blind Guardian)
:: Review ::: CD ::: WOLFMOTHER (Wolfmother)
>> Mais materias AQUI!

Quem Somos | Ajude a Divulgar A ARCA!
A ARCA © 2001 - 2007 | 2014